A Iniciativa

“SUSTENTABILIDADE RACIAL”


A noção de sustentabilidade induz a busca de um equilíbrio de valores, em um sistema dinâmico, que deve considerar as dimensões econômica, social e ambiental.

No campo econômico o foco está na produção, distribuição e consumo de bens e serviços. Mas o aspecto ambiental exige que tudo se dê segundo um uso racional e ponderado dos recursos naturais. Já, o elemento humano condiciona as duas dimensões referidas, posto que o econômico é realizado por e em favor de algumas pessoas, enquanto o ambiental deve ser protegido dos excessos humanos e preservado em respeito à toda a humanidade, e não só. Todavia, na lógica da sustentabilidade, o fator humano tem expressão maior e impõe a garantia de condições de vida e trabalho para todas as pessoas.

Logo, a sustentabilidade depende, antes de tudo, da priorização da dimensão social. Essa análise, transposta para a realidade brasileira pressupõe a observância da demografia de nosso país, pelo que impossível falar-se em sustentabilidade sem ter em conta a questão racial. Desse encadeamento lógico, nasce o conceito cunhado por Valdirene Silva de Assis, de sustentabilidade racial, segundo o qual a sustentabilidade, em todas as suas dimensões, novamente a social, que prepondera, demanda o necessário trato da equidade racial, para que o equilíbrio pretendido se perfaça.


A busca de uma governança corporativa, que redunde em boas práticas na área social e ambiental (ESG) nos devolve ao conceito de sustentabilidade, de uma excelência obtida pelo equilíbrio desse sistema de valores, que nos revela a prevalência da dimensão social e, por conseguinte, da sustentabilidade racial.


O Ministério Público do Trabalho, o Núcleo de Estudos Raciais do Insper e o Pacto Global, apoiados nesse inédito conceito, ora apresentado, lançam um observatório dedicado à temática, o observatório da Sustentabilidade Racial é um espaço de análise de dados oficiais sobre a participação da população negra no mercado de trabalho e a necessidade do trato sério e consequente da sustentabilidade, a bem do atendimento de um outro patamar de organização empresarial e mercado do trabalho, marcado pelo igual respeito a todas as pessoas.”


(Valdirene Silva de Assis, setembro de 2021)